Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos


PRECE À MUSA
 
 
Por que me abandonas,
Nos mares da poésis,
Com risadas de ironia?
Bem sabes,
Sem tua ajuda,
Submergirá a beleza,
Que emprestas à poesia.
 
Não deixes que me afogue,
Nas águas que tanto amo.
Cede apenas um pedaço
Desse belo provocador,
Pois, mesmo afogado,
Morrerei sem quase dor.
 
Sou um simples pescador,
Que carrega, neste barco,
Alguns versos, pouca rima.
Dê-me, Musa, as palavras,
Termos, idéias adequadas
Ao poeta que te estima.
Direi que são divinas...

www.drc.recantodasletras.com.br

Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 05/06/2010
Alterado em 20/06/2010
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php