Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos


POR ONDE ANDAS?

Ando
Pela terra sem passos,
Sob a chuva que molha,
Arrasto os cadarços
E piso nas poças,
Sem ter quem me ouça
Esta voz enfurnada,
Na camisa molhada
De chuva e de lágrimas,
Que fazem um só pranto. 
Ando passos na terra,
Que junta a água,
Caída do céu.
Só miro o chão,
Marcado de rastros
Daqueles que passam,
Ao lado dos meus.
Iguais solitários,
No caminho diário,
Faltam teus rastros,
Existem só passos
Que nunca são teus.
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 24/09/2010
Alterado em 14/01/2011
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php