Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos


 
Teu olhar 
 
Esse teu olhar, 
Que me inebria, 
Alimenta-me para o dia, 
Para, à noite, me achegar... 
Esses olhos, tais quais seios, 
Satisfazem aos anseios 
Dos desejos de te ver, 
D’eu ter fome e comer, 
Dia e noite dos meus dias, 
A alegria do prazer. 
Não sei se sentirias 
Teu olhar nessa visão, 
Exigindo, sem saber, 
Esforçar meu coração 
Ao olhar que me inebria. 
 
 
 
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 11/02/2013
Alterado em 11/02/2013
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php