Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos




PRAZER INFINITO
 
Os prazeres do infinito
São os mesmos do finito.
Tu te cabes no teu tempo
Para aquilo do sofrido
E para aquilo do prazer.
Se agora tu queres ser,
Aproveita o teu tempo.
Cada átimo é valioso.
Se somados são momento,
Bem vivido ou prazeroso.
Num momento há tanta vida,
Mas só apenas no passado,
Relembras o vivido.
Bons prazeres, sofrimentos,
Fizeste do amor um lamento,
Que passou sem ser amado.


Damião Ramos Cavalcanti


 
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 30/09/2013
Alterado em 30/09/2013
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php