Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos


                          O presente: A Pedra do Reino

           João Pessoa nasceu "vocacionada" à cidade de congressos, predestinação caracterizada por sua natureza, seu espaço, sua beleza e, depois, por sua cultura; o que a tornou ambiência receptiva a reuniões, a simpósios, enfim, ao estudo e à pesquisa, características, há muito tempo, de um oásis para o ensino superior. É, ainda , muito atrativa: Quem vem a João Pessoa para participar obrigatoriamente de algum congresso retorna espontaneamente para revê-la e mostrar à família a surpresa que aqui encontrou. Isso já vinha acontecendo como consequencia de pequenos e médios congressos realizados.
           Mas, maiores eventos sempre se depararam com dois quase insuperáveis batentes: Auditórios pequenos e pouca quantidade de hotéis para mais de mil congressistas. Lembro-me do 21º Congresso da ABES (Previsão: 5000 participantes), em 2001, quando, no Espaço Cultural, improvisamos auditórios com telões e até na Praça do Povo para abertura e fechamento do Congresso. Os congressistas se arranjaram também em hospedagens e hospedarias de Cabedelo a Pitimbu, enfim, onde reclinar a cabeça. Outro fenômeno: Restaurantes lotados. Olho como discursou João Azevedo: "Olhar para trás e ver tudo aquilo que foi transformado; tudo aquilo que foi construído, que foi melhorado. Não há impulso mais estimulante para seguir em frente do que melhorando o mundo em que vivemos" (...)
          O Governador Ricardo Coutinho, enfim, desfez os mencionados enormes batentes, entregando ao mundo cultural uma confortável rampa, "iniciada pelo Governador José Maranhão": O Centro de Convenções de primeira categoria, presenteando João Pessoa no dia dos seus 430 anos; presente que se estenderá à casa da aniversariante: A Paraíba. Ricardo construiu histórica solução, transformando a pequena "pedra no sapato" numa esplendorosa "Pedra do Reino".
          Desfeito o maior batente, agora a Paraíba atrairá megaeventos com milhares de participantes no seu Teatro - auditório , contando com a estrutura do Centro que abriga cerca de vinte mil pessoas. Tudo isso não dispensa contínuo empenho gerencial na manutenção e na busca de sinais ou intenções de congresso, adicionando a isso intensa publicidade. Assim também se desfaz o segundo batente, causando a necessidade de mais leitos, porque só se aumenta a oferta, quando cresce a demanda... Com certeza, milhares de "pedidos de reserva" estimularão o empreendimento de competitivos hotéis. O Centro de Convenções, com o maravilhoso e imponente Teatro Pedra do Reino, "pedra ara" ao nosso imortal da APL Ariano Suassuna, é "pedra angular" dessa década de construção.
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 07/08/2015
Alterado em 14/08/2015
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php