Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos


                      A dolorosa ideia de presunção

          Tendo-se a dor de dente ou de unha cravada, aplica-se materialmente o ditado lógico: Tira-se a causa, logo, desaparece o efeito... No caso, extraindo-se o dente ou arrancando-se a unha, a dor se vai... Contudo, há dores crônicas de raízes profundas, irremovíveis pelo alicate. O amigo Rubem Alves, imortal cronista, inventou , embora muito depois das ideias de Platão, o termo 'dor' para coisas imateriais: "a dor de ideia". Fenômeno comum no dia a dia, porém muito pouco observado. A "dor de ideia" difere das "dores de coisa" e acho que pode ser chamada de 'dor do eu'. Praticamente são a dor do medo; a de perder o emprego; a de ser traído; a de morrer; a de ser perseguido; a da ideia de se considerar incapaz,  não inteligente ou superinteligente, desprezado ou sexualmente não realizado; a de invejar e não conseguir aquilo que é invejado. Enfim, são dores de ideia que, somente evitando-as, mais com ajuda de psicanalista do que com a de médico, elas não causarão sofrimento.
          A ideia de presunção se elabora num pedestal erigido pela própria estátua e não pelos seus pretensos admiradores... As características dessa doentia e fastidiosa prosopopeia são a inveja, os autoelogios, a descaracterização das qualidades alheias; tudo isso movido pela energia mefistofélica da exacerbada vaidade, tida como "bem-aventurança dos néscios, dos tolos ou dos semidoutos".
          O presunçoso sofre quando se convence de que ele não corresponde à fatuidade que propaga. Pior: Ofende os de bom senso ou os que circunstancialmente são compreensíveis  vítimas da sua exagerada empáfia.  Em lugar nenhum li que Michelangelo se autoelogiou ao esculpir "La Pietà";  fez a obra e a beleza se encarregou do resto, sem talvez, provocar dor em algum artista... Os bons não precisam de aparências, de suspeitas suposições. Ah! Se, nesses presunçosos, a vaidade de serem amados os tornasse simples... 
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 28/08/2015
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php