Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos


                              As cinquentinhas
 
         Lembro-me que, nos anos de 1952 a 1962, proprietários de bicicleta faziam de tudo para emplacar esse prático transporte tão usado nas pequenas e grandes cidades orientais e ocidentais. Quanto a Pilar e a Itabaiana,  bicicleta  com placa crescia de valor, ficava parecendo automóvel... Rogavam-se a "Seu" Paiva, Chefe do DETRAN local, números de sorte, fáceis de decorar, como eles significassem: Esta bicicleta é minha. Bicicleta sem placa se confundia com a roubada. Contra isso, os cavalos eram ferrados com as iniciais do dono.
          Tempos passaram, hoje, quanto mais se multiplicam as bicicletas, mais desaparecem suas  identificações,  até se liberando motocicleta de baixa cilindrada das obrigações do veículo comum, mesmo eles veiculando, sem identificação, fazendo tantos transtornos no trânsito; passam por onde não podem, vão aonde não devem, derrubando gente, amassando carros, causando graves acidentes. Nessas rápidas circunstâncias, qual é a "cinquentinha", quem é o infrator?  Talvez a camisa do motoqueiro, quando a usa, ajude a identificá-lo.  Pouco se sabe; talvez haja, ao seu lado, "moto roubada"  ou, pior,  a serviço do roubo, dos assaltos, nas calçadas, arrancando relógios e bolsas dos transeuntes, especialmente dos idosos.
          Estranho como uma necessidade de identificação tão premente deixe dúvida quanto à sua urgente providência: exijam-se das cinquentinhas números que as identifiquem... E taxa? Pode ser simbólica, mas que haja seus emplacamentos,  já que  são usadas, como vêm sendo, para  a violência a mão armada e até  para a prática de assassinatos. É de irresponsável demagogia o político que defende o consequente anonimato desses crimes. As cinquentinhas devem ter placa, com números visíveis e legíveis. Assumo a voz dos  vários conhecidos que já foram picados por essas abelhinhas ou atacados por esses marimbondos... 
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 25/09/2015
Alterado em 25/09/2015
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php