Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos


                            Um natal sem neve

           Para os nórdicos, natal sem neve é como para o sertanejo um inverno sem chuva; ou melhor: Para a cultura das quatro estações, uma primavera sem flores. Não é que a festa natalina necessite desses elementos da natureza para caracterizar sua maior motivação, o natal tem o seu definido significado. Este substantivo, por ser tão adornado de inadequados adjetivos, vem perdendo sua substantivação, hipertrofiando  aspectos apenas circunstanciais à data, acréscimos de cores e de coisas: vermelho, branco,  luzes pisca-pisca, papais-noéis, nozes, chocolate e gravetos com algodão para parecerem árvores escandinavas, cobertas de neve e, na estrada, uma charrete puxada por cervos.
          Contudo, há pessoas já conscientes do que seja o natal, lembrando-nos  o Poema de Natal, de Jorge de Lima: "- É o menino do carpinteiro", tentando nascer ou renascer em cada um de nós, com mensagens de bondade e de amor, propiciando tempo fértil de boa vontade, sobretudo para aqueles que praticam a inveja, a perfídia, o ódio e a intriga. Ah! Se o natal os transformasse! Infelizmente,  suas empáfias obstruem a eficácia da "revelação"; o Amor perdeu para esses seu sabor, tornou-se sal que não salga... E quanto mais se diz que o natal é a comemoração  do nascimento de Jesus Cristo, mais alto a mídia divulga e convence de que natal é festa do comércio, sem "crise", a estimular crianças e pais ao mundo do compra-compra, do império do consumismo.
          É preciso que morra  tal vil divindade para que aconteça o  verso natalino de  Fernando Pessoa:  "Nasce um Deus. Outros morrem" (...). Enfim, o Natal não é teatro, mas poesia, vivencial despertar do belo. Há de se convir que o Natal pode ser sem compras,  sem neve, sem chuva, sem lua, sem sol, mas jamais sem Jesus Cristo. Aos que têm essa fé, neste Natal,  o Amor é nascituro... 
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 25/12/2015
Alterado em 25/12/2015
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php