Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos



                             Porque é Carnaval

          Esquentaram cuícas e tamborins, próprios do ritmo místico sem melodia; treinaram  mulatas e mulatos; desceram do morro  à compra de enfeites, e depois de cansativos ensaios, repetidos passos e medidos movimentos, construíram escolas e blocos. Enfim, prontas e prontos aos desfiles para suarem, à luz do sol, da lua, bem mais do que no do trabalho quotidiano ou na procura de trabalho. Dos esforços  espontâneos e obrigatórios resultaram imensas "escolas de samba" com trabalhadores e desempregados.Não se fale que isso é ilusão, porque é Carnaval... 
         Esquecem tudo; entram em transe frenético de braços e pernas bailarinas; pela “avenida", acompanham desacompanhados; vagueiam, sem destino; a memória canta marchas antigas, e  a vaidade, novo samba-enredo. Quem é o mascarado de comportamento extravagante? Atraem multidões para verem sempre a mesma coisa ou detalhes diferentes dos carnavais que já se foram. Sérias pessoas vestem-se de sacerdote, de freira, mas com caras de orgia e profanas palavras... Sem ensaio, acontece também o "autêntico" carnaval: Qualquer fantasia, roupas de casa que servem para desinibir o "gênero" reprimido. O Carnaval se justifica: Ninguém é de ferro para suportar o peso do ano inteiro sem três dias para dançar. Enfim, a humanidade sempre recorreu a folguedos para exorcizar fantasmas, angústias.  
          Lá vem Chico Buarque: "(...) Quem é você, diga logo / Que eu quero saber o seu jogo / Que eu quero morrer no seu bloco (...) Vou beijar-te agora / Não me leve a mal / Hoje é carnaval !..." Dizem: "O que é bom dura pouco", até carnaval. Pierrô chorará  a ausência de Colombina; cairão máscaras, eflúvios, lágrimas, sorrisos, mentiras e juras de amor. A realidade voltará à rua: Ressacas, trabalho, deslembranças, saudades ou alguns arrependimentos. Mas, valeu a pena, se, no Carnaval, tiver nascido ou renascido alguma  história de amor.

 
 
 
 
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 05/02/2016
Alterado em 05/02/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php