Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos


                    Na delação, o justo é inegociável

           A  delação vem de históricas e remotas circunstâncias, sendo espada, faca , punhal, ou instrumento de corte de dois gumes que, na maioria das vezes, corta só de um  lado, sobretudo quando esse "lado" é de onde parte a maior motivação da denúncia. Em se tratando de "denúncia premiada", o prêmio deveria ser unicamente o de fazer o bem a todos, e não, o de fazer o bem a si próprio, o de se livrar da penalidade merecida pelo crime que cometeu. Isso contradiz a Justiça porque o que é justo é inegociável; jamais sujeito a "prêmio". Nietzsche teoriza que há um egoísmo dentro do homem, maior do que  o "egoísmo do Estado" e do "da Ciência": O "egoísmo negociante" de cada indivíduo, movido pela ganância e pelo bem individual, apartado do coletivo.  
           A nação, no dia 21 de abril , comemorará o Dia de Tiradentes,  data em que inconfidentes mineiros  planejaram libertar-se das garras tributárias da Coroa portuguesa. Os portugueses de então propagaram Tiradentes e companheiros como traidores da pátria; o delator, contratador de estradas e entradas, fazendeiro e proprietário de minas, Joaquim Silvério dos Reis, como herói. A história se inverteu; hoje se ensina Silvério dos Reis como traidor, e Tiradentes, enforcado e esquartejado, como o protótipo do civismo e o mártir da Independência. Silvério dos Reis delatou e foi premiado: Perdão de impostos e dívidas, rica mansão, pensão vitalícia, título de fidalgo, fardão de gala da Casa Real, hábito da ordem de Cristo, e audiências do Regente João, em Lisboa, à custa do erário.
          À custa da Justiça, o justo é inegociável para não deixar de ser justo. Enfim, responsáveis pela procura de eventuais culpados, mesmo com sofisticados meios tecnológicos para suas descobertas, acomodam-se , trocando  trabalhosa investigação pela palavra fácil e premiada do delator. Contudo, melhor a denúncia por prêmio do que a por inveja, a por vingança e  a obtida por tortura...    
 
 



 
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 04/03/2016
Alterado em 05/03/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php