Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos


                                     A morte não existe

          Dentre as felonias, a mais hedionda é o assassinato: Matar com intenção criminosa, de modo deliberado,  seja com violência ou de qualquer forma, especialmente com premeditação cometida a sangue frio, numa patente demonstração de que o assassino é vazio de sentimento ou o assassinado, de qualquer valor . Como tratar esses, se consideram puníveis os delitos cometidos por infortúnio? O assassinato se reveste de ofensa maior, se praticado com desdém à vida, tratando a pessoa como se fosse uma coisa que não nasceu ou cresceu sem sentido, sem missão a cumprir, desfazendo assim o sagrado e o divino significado que Deus deu à vida. 
          Em comunidades de genuínas vivências culturais,  o féretro se soleniza conforme o tempo que o morto viveu ou o que haveria de viver. Contudo, também nessas culturas, matar alguém, em qualquer fase etária, constitui felonia aversa à Criação dos viventes, por dar fim à natureza humana. Reflito que somente a vida existe e dela tudo decorre. A morte não existe, ela é apenas e tão somente a ausência da vida, como o nada é a ausência do ser. Isso revela razões da contínua luta pela sobrevivência entre que os que têm vida.
          Quando a vida se ausenta por fatalidade no avião que cai, no navio que naufraga, no trem que descarrila, no ônibus que vira, acontece unânime lamentação. Mas, quando se assassinam coletivamente dezenas, centenas, milhares ou milhões de pessoas, como ocorre nos genocídios,  irada revolta substitui o choro por não compreender e não suportar tamanha irracionalidade. Irracional também é lucrar com a fabricação de armas, desses instrumentos de horrenda "finalidade", dispostos ao crime, facilmente em mãos de mentes insanas para trucidarem creches, escolas, universidades, templos, hospitais, festas, como nos USA, a boate Pulse. Se a morte não existe, o mal inventa...  
 

 
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 16/06/2016
Alterado em 16/06/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php