Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos



                            Valores enfraquecidos

          Leia o jornal, veja a onda midiática tornando habitual a frivoleza diante do impactante pavor: Mata-se ser humano como menino perverso com baladeira, lagartixa ou sapo, dando-lhe para engolir prego incandescente. A violência invade casas, escolas, hospitais e igrejas,  acima dos constantes desastres no trânsito das ruas ou no ir e vir entre as cidades: Realidade que fere a sensibilidade e escochina o bem-estar.
          Esses fatos talvez enfraquecem o entusiasmo das famílias, das escolas e das igrejas de ensinarem que "a vida é um precioso dom de Deus, só Ele que nos doou a vida pode tirá-la"... Lia-se isto em todos os catecismos, em qualquer livro didático sobre cujo conteúdo, hoje, mais se discute se os educadores devem inserir que, fora os animais, a humanidade tem três gêneros. Tal discussão pode existir sem substituir a da participação dos homens e das mulheres na procriação da vida: Se Deus criou, mulheres e homens cocriam tão inestimável natureza sem o direito de matá-la: Argumento maior contra a pena de morte. Ninguém, apenas vestindo paletó do poder ou toga da justiça, pode usurpar essa faculdade divina.
          Não afetaria meu "livre arbítrio", se alguém, ao tirar a vida de outrem, de pronto, ato contínuo, perdesse a sua; tal imaginária penalização frearia a criminalidade, excetuando apenas os suicidas. Somente a Deus cabe tal fatal aplicação da reciprocidade do crime e da pena: "Olho por olho (...)". Contra essa imaginação, suponho que Ele, ao ser perfeito, é misericordioso e simula ignorar os irascíveis tachando os misericordiosos de frouxos e não compreendendo a coragem e o dom da misericórdia que, espontâneo, cai dos céus como o maná no deserto.    
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 01/07/2016
Alterado em 01/07/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php