Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos



                            Trump: Ser ou não ser político

            Recentemente, escutei de um taxista, em São Paulo, que a vitória do seu candidato à Prefeitura teria três motivos: Prometeu aumentar, de 70km a 90km, o limite de velocidade num certo trecho a caminho do Aeroporto; depois, que "ele era rico", agora o pior: Dizia-se não político, "diferente dos outros". Desconfio de quem esconde que é político e político deseja ser. Até nós, sem sermos candidatos, somos políticos enquanto cidadãos da "polis".
           Rechaço quem, pretendendo ser "político", nega-nos seu conceito, sua pretensão. A sã política do julgar, do legislar e do administrar, segundo históricas filosofias,  é necessária à vida da "polis". Cometer-se-ia  também má conceituação  aos cidadãos que conseguiram e conseguem exercer tais funções sociais com justiça, boas leis e obras a serviço do bem comum. Torna-se moda os desonestos difamarem os honestos...
         Vem Trump, verbalizando assombrosas propostas, o que não fez o paulista, e insiste que é rico, "segregador das minorias" e que tornará os fortes mais fortes; e que, sendo "político", não será político. Aliás, não precisa ser rico para ser governante, geralmente, esse esquece os que não são ricos, propiciando a bilionários maiores concentrações de desnecessária riqueza... Quem se torna mais forte do que os outros sem tornar os outros menos fortes?
          Buscando "esperança e não medo", a maioria votou contra tais propósitos; mas "os delegados" alçaram tal candidato ao posto do 45º Presidente dos Estados Unidos, para ele discernir a paz e a guerra. O Amor o ilumine  porque as palavras de Trump, depois da vitória, ainda não  apagaram as ideias verbalizadas que ele demonstrou ter em mente. Afinal, a História admoesta que estimular o povo ao ódio contra as "minorias" é prática nazista, o que aconteceu contra judeus e comunistas, na Alemanha da II Guerra... Alerto que o tom conciliador de Trump, depois da vitória, não significa a desistência dos seus projetos. Evitar maus "políticos" não é substituí-los por quem apregoa  extinguir da "polis" a arte de conduzi-la e os que honesta e sinceramente são políticos.  
 
 
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 11/11/2016
Alterado em 12/11/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php