Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos


                    A CRÔNICA DE DAMIÃO RAMOS CAVALCANTI
                                               JOSÉ MÁRIO DA SILVA
                                                 ACADEMIA PARAIBANA DE LETRAS


               A crônica é um gênero anfíbio da literatura; transida entre o factualismo jornalístico e a transcendência estética, ela é o hibridismo do hibridismo, o entrelugar da linguagem, a indomável arte que se recusa a caber dentro desta, daquela, ou de qualquer que seja a grade classificatória que a queira aprisionar. Malandra, enamora-se dos vários modos de transfiguração do real, mas não assina pactos de convivência duradoura com nenhum deles, a não ser consigo mesma e com o seu libertário e errático modo de ser e de estar na república das letras.
          Do poema em prosa, ao roçar nas fímbrias da ficção; da meditação filosófica ao delicado incursionamento ensaístico, plural é a travessia da crônica, gênero cultivado pelo professor e acadêmico Damião Ramos Cavalcanti, em várias impressões textuais que ele tem, domingo após domingo, destilado nas páginas deste periódico. Ora o lirismo se evola de uma memorialística remembrança do mar em seus fascínios e mistérios, notadamente o que é, em sua aparição original, recuperado pela percepção da criança que ainda habita o homem em sua maturidade.
          Ora, a tonalidade da crítica social se acentua, e a crônica, diria mestre Eduardo Portella, tanto celebra quanto denuncia a cidade moderna, palco de grandezas e misérias. Ora aciona as teclas do código afetivo, na cartografia exata de uma personalidade marcante com quem o cronista escreveu um bonito enredo chamado amizade. E tudo, acentue-se, por meio de uma estruturação retórica que, aparentemente, simula dispersão e desfocamento temático, mas, no final das contas, como diria José Nêumanne Pinto, vai direto ao assunto, ao indesviável cerne da matéria cotidiana de que se instrumentaliza em seu peculiar ato/processo de recriação da realidade.

 
José Mário da Silva Branco
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 04/12/2017
Alterado em 04/12/2017

Música: prelude - BACH - Bach

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (José Mário da Silva Branco). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php