Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos


                             Atemporalidades do tempo

    A passagem de ano, neste 31 de dezembro, pode nos causar certa confusão, porque o último dia de 2017 é domingo, o festivo da semana; e, o primeiro de 2018, a segunda-feira, um dos dias úteis, de trabalho, levando Joca Taxista dizer que "tanto faz, tudo é mesma coisa", repetindo a filosofia de que o tempo é um continuum, como se fosse um todo. O novo seria o pedaço da estrada que seu carro ainda não percorreu, mas o caminho é um só. Não o impressionam os passageiros vestidos de branco, informando-lhe o destino da festa, pagando-lhe a corrida para o Ano Novo.
    Há fogos de artifício nos velhos ares, de repente, apagados pelos novos ventos, mas isso não contradiz serem os anos um mesmo tempo, "uma coisa só": o novo não recomeça o velho, mas apenas lhe dá continuidade. O andarilho budista na interminável via, na samsara, e depois no ainsa, conta nos dedos oito vias, mas o caminho é um só, o à inatingível perfeição, à felicidade. Há quem já se ache, presunçosamente, perfeito. Mesmo quase assim, foi o tempo que melhorou ou ele, que melhorou no tempo? Percebam os de vida curta, média ou longa que o tempo é longevo, sem fim. E reflete o taxista: vão-se  os passageiros, e o carro fica, não parando de rodar.
    Mais do que do ano, os fins de semana servem para nos avisar metas que não foram ainda cumpridas; na próxima, poderão ser alcançadas. Então, festeja-se o fim ou o início? Os dois, o das metas alcançadas e o das a serem cumpridas, tudo numa só festa, num só tempo, misterioso, dando-nos a intuição da eternidade e a Mário Quintana, da poesia: "A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa./ Quando se vê, já é sexta-feira!/ Quando se vê, já é natal... / Quando se vê, já terminou o ano.../ Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida./ Quando se vê, passaram 50 anos!/ Agora é tarde demais para ser reprovado..."

 
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 29/12/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php