Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos


                         Merecidos direitos dos mortos

           Há um ano atrás, no Cemitério Senhor da Boa Sentença, o túmulo dos meus pais  foi violado e levaram-lhe a cobertura de granito para se fazer, verificavelmente, tampa de sepultura, na parede lateral daquela "casa da paz".  O túmulo ficou desnudo, exposto à censura de que seus responsáveis, talvez, não lhe dedicassem cuidados à memória dos seus antepassados, no caso, dos mais próximos. Também por tais razões, dia seguinte, eu e meu irmão Ivan fomos recolocar a pedra que faltava. E ficou "tudo como dantes no quartel de Abrantes"; ninguém viu, à luz do dia, os fantasmas furtando, mas os circunstantes "zeladores" sabiam o "mestre"  que negociou o alheio ao alheio.
          Já trabalhei, como estudante, nos jardins e no crematório, do cemitério de Krefeld, na Alemanha, durante o terceiro trimestre de 1968. Naqueles costumes, os cemitérios públicos recebem esmerado zelo por parte daquela gente e dos seus governantes, ambos conscientes da "sacralidade" daquele venerável  "campo santo", onde alguns estão e aonde todos irão... Tal experiência cultivou em mim um gosto esquisito: o de conhecer os cemitérios das cidades que visito, sobretudo se são moradas de admirados cidadãos ou de vultos ilustres. Em todos esses países, o prefeito acumula as duas prefeituras: a da cidade dos vivos e a da "cidade dos mortos".
          O jornal A União, desse 18 de abril, estampou, na primeira página: "Cemitérios de João Pessoa são usados como motel" e detalhou, na página 5, a continuada ação dos larápios e dos vândalos, furtando argolas, crucifixos, molduras e placas de bronze, santos, joias e até anéis dos dedos dos recém-sepultados; fazendo daquela "terra sagrada" uma alcova de ladrões, de traficantes de droga e de quem queira comerciar atos libidinosos. As almas não fazem medo a esses praticantes do sexo por trás das tumbas, nem tampouco elas me deram procuração para reclamar seus merecidos direitos. Contudo, "que os mortos enterrem seus mortos" (
Lc, 9, 59 - 60), porém cuidem dos cemitérios os que têm o dever e  a responsabilidade de cuidar...  
 
 
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 21/04/2018

Música: 07-Sinfonia nº 3 Brahms - Desconhecido

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php