Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos


 
O Cabo Branco da arquiteta

Um cabo ela projeta,
É desenho, não se acaba,
No mar, linhas e terra,
Tampouco ele desaba.
É Projeto de uma ponta,
Das águas ao continente,
Luz ela desenha,
Em raio que já desponta,
Pondo Sol, brilho nascente.
Caem chuvas, correm ventos,
Pinta nuvens, suave brisa,
Sobre brancas ondas quentes.
E assim o barco vai,
Mira o Branco que é amado,
Do Cabo que se esvai;
Falta porto à arquiteta,
Ao descer à praia ao lado,
Da serra que vira mar,
No mar tudo se encerra,
No mar, nenhum traslado.  


Poema à neta arquiteta Rebeca Cavalcanti Pereira
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 27/11/2018
Alterado em 27/11/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Damião Ramos Cavalcanti). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php