Damião Ramos Cavalcanti

Enquanto poeta morrer, a poesia haverá de viver

Textos



                            Trump: Ser ou não ser político

            Recentemente, escutei de um taxista, em São Paulo, que a vitória do seu candidato à Prefeitura teria três motivos: Prometeu aumentar, de 70km a 90km, o limite de velocidade num certo trecho a caminho do Aeroporto; depois, que "ele era rico", agora o pior: Dizia-se não político, "diferente dos outros". Desconfio de quem esconde que é político e político deseja ser. Até nós, sem sermos candidatos, somos políticos enquanto cidadãos da "polis".
           Rechaço quem, pretendendo ser "político", nega-nos seu conceito, sua pretensão. A sã política do julgar, do legislar e do administrar, segundo históricas filosofias,  é necessária à vida da "polis". Cometer-se-ia  também má conceituação  aos cidadãos que conseguiram e conseguem exercer tais funções sociais com justiça, boas leis e obras a serviço do bem comum. Torna-se moda os desonestos difamarem os honestos...
         Vem Trump, verbalizando assombrosas propostas, o que não fez o paulista, e insiste que é rico, "segregador das minorias" e que tornará os fortes mais fortes; e que, sendo "político", não será político. Aliás, não precisa ser rico para ser governante, geralmente, esse esquece os que não são ricos, propiciando a bilionários maiores concentrações de desnecessária riqueza... Quem se torna mais forte do que os outros sem tornar os outros menos fortes?
          Buscando "esperança e não medo", a maioria votou contra tais propósitos; mas "os delegados" alçaram tal candidato ao posto do 45º Presidente dos Estados Unidos, para ele discernir a paz e a guerra. O Amor o ilumine  porque as palavras de Trump, depois da vitória, ainda não  apagaram as ideias verbalizadas que ele demonstrou ter em mente. Afinal, a História admoesta que estimular o povo ao ódio contra as "minorias" é prática nazista, o que aconteceu contra judeus e comunistas, na Alemanha da II Guerra... Alerto que o tom conciliador de Trump, depois da vitória, não significa a desistência dos seus projetos. Evitar maus "políticos" não é substituí-los por quem apregoa  extinguir da "polis" a arte de conduzi-la e os que honesta e sinceramente são políticos.  
 
 
Damião Ramos Cavalcanti
Enviado por Damião Ramos Cavalcanti em 11/11/2016
Alterado em 12/11/2016


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
http://www.drc.recantodasletras.com.br/index.php